domingo, 22 de junho de 2014

DESABAFO



Não é desordem.
Na verdade está tudo tomando o seu lugar.
A verdade pra mim 
tem sabor de sorvete com pipoca
e cores de amor.
Mas de que importa se ela não pode ser vivida?
O que é meu ninguém rouba ou sequer me faz esquecer.
Não se vende aqui uma vida, mas pode ser que morra uma pra que outra nasça.
Os quadros não ficaram ou ficarão esquecidos.
Os couros noturnos menos ainda.
Há sabor em tudo e em tudo há vida!
Há verdade, há vida mesmo que não se queira ver.
Pode ser que tudo suma, que haja afogamentos...
Sufocamentos.            
Pode ser que de tudo só reste incerteza.
Pode ser que a dor vire alegria
ou vire mais dor.
Será isso cólera ou coleira?
Pode ser também que seja amor, 
mesmo que não viva,
mesmo que tudo morra e que, do coração,
a faca transpassada seja parte permanente.
...é pode ser que seja apenas amor...
Vivente de um coração 
que respira por aparelhos, 
respiradores, 
mas que insiste em viver.


PALOMA MARQUES
          
                                                22/06/14

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Concordo com você, Gugu Keller.
      Prazer tê-lo em minha página.
      Volte sempre!

      Excluir